quinta-feira, 30 de outubro de 2008

PROJETO SALA DE RECURSO ESCOLA ESTADUAL 12 DE ABRIL

ESTADO DE MATO GROSSO
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
ASSESSORIA PEDAGÓGICA DE TERRA NOVA DO NORTE - MT
ESCOLA ESTADUAL “12 DE ABRIL”

PROJETO SALA DE RECURSO



TERRA NOVA DO NORTE _ MT
2008
ESCOLA ESTADUAL “12 DE ABRIL”
IDENTIFICAÇÃO
ESCOLA : ESTADUAL 12 DE ABRIL
Avenida 12 de Abril Nº. 5869 – Centro
Terra Nova do Norte – MT
CNPJ: 01.624.171/0001-07
Telefone (código de acesso 66) 3534 1217
E-Mail: eedozedeabril@hotmail.com.br
Diretora: Maria Célia Antunes
Modalidades de Ensino Oferecidas: Educação Básica Ensino Fundamental e Médio não Profissionalizante
Decreto de Criação Lei 1840/82
Autorizado pela Resolução Nº. 256/2002
Reconhecido pela Portaria Nº. 256/2002
Ensino Fundamental Autorizado pela Resolução Nº. 256/2002
Reconhecido pela Portaria nº. 256/2002
Disciplinas: Linguagem, códigos e suas tecnologias;
Ciências da natureza e suas tecnologias; Ciências sociais e suas tecnologias
Turmas: 5ª , 6ª, 7ª, 8ª séries e Ensino Médio
Turno: Matutino e Vespertino e Noturno
Período: De 13 de Fevereiro de 2008 a 19 de Dezembro de 2008
Ano letivo: 2008
APRESENTAÇÃO
A Escola Estadual 12 de Abril por meio do Programa de Inclusão e Apoio ao aluno PNEE, Portadores de Necessidades Educacionais Especiais, neste ano letivo de 2008, concretiza ações colaborativas com duas salas de recursos com serviços de natureza pedagógica que destinam-se aos alunos com necessidades educacionais especiais, matriculados no ensino regular e serão atendidos em classes comuns e sala de recursos no período oposto. Objetivando trabalhar as necessidades especiais e favorecer a eficiência cooperativa entre Aluno Professor e Família no processo educativa.
O pressuposto subjacente aqui apresentado é o princípio da construção de uma sociedade inclusiva, ou seja, a valorização da diversidade como agente de transformação da consciência social. E desta forma dá-se, voz a pessoa com necessidades educacionais especiais de maneira a viabilizar a participação social e o exercício da cidadania.
Na área educacional, a Constituição de 1988 deu primazia ao atendimento do portador de deficiência na rede regular de ensino, política mais tarde reafirmada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação – Lei Nº. 9394/96. Embora possa ser considerado um avanço, tal política educacional continuou a se pautar pela visão das pessoas normais e as se desviam desse padrão devem ser preparadas, normalizadas para o convívio social.
Tema: Apoio a Educação Inclusiva, através da “ Sala de Recurso”
FORMAS DE TRABALHO
v Encontros Individuais
v Reunião com professores do Ensino Regular
v Orientação familiar através de reuniões para esclarecer sobre a deficiência e orientar quanto aos procedimentos necessários para educação do seu filho.
v Apoio Especializado sempre que necessário.
Objetivos:
Ø Montar projetos para desenvolver durante o ano.
Ø Conhecer a estrutura dos projetos;
Ø Incentivar trabalhos de pesquisa em equipes;
Ø Privilegiar a digitação dos trabalhos pelos próprios alunos da equipe no laboratório da escola.
Ø Melhorar a comunicação através da apresentação do trabalho em sala de aula.
CARACTERIZAÇÃO DAS TURMAS
As turmas a serem contempladas com a sala de recursos são 02 (duas). Alunos com idades variadas apresentando dificuldades distúrbios variados na efetivação da aprendizagem. Uns com maiores e outros com menores problemas na aquisição da leitura e escrita. Dentre essas dificuldades, pode-se perceber que a maioria desses alunos demonstra interesse em aprender, mas se sentem impotentes diante ao estímulo recebido por falta de um projeto que contemple a integração associando a auto-estima desses educandos gradativamente de modo a efetivar o aprendizado dentro das possibilidades e limitação de cada aluno.
O trabalho será desenvolvido e aplicado na sala de recurso no período matutino pela professora Leoni Machado e no periodo vespertino pela professora Maria da Luz Almeida da Silva, cuja Formação e Habilitação é Licenciatura Plena em pedagogia e Pós Graduação em Didaticas do Ensino Superior.
JUSTIFICATIVA
Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394 de 20 de dezembro de 1996, em seu Artigo 58, refere à Educação Especial da seguinte forma “Entende-se por Educação Especial, para os efeitos desta Lei, a modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para educandos portadores de necessidades especiais”.
1º - “Deverá, ter serviços de apoio especializado, na escola regular, para atender às peculiaridades da clientela de educação especial”.O que temos presenciado nos últimos anos são Instituições não Governamentais tentando atender estes alunos, mas os gastos com os profissionais acabam gerando gastos para a Secretaria de Estado de Educação. As citadas Instituições estão imbuídas de boa vontade no que toca atender os alunos com necessidades especiais, porém o que temos presenciado é a transferência do problema individual para um coletivo, que nem sempre há profissionais preparados para lidar com situações adversas das encontradas nos seus lares e meio onde convivem.
A campanha do Governo Federal através do Ministério da Educação volta seu olhar para a necessidade da inclusão social. O processo de inclusão só ocorrerá a partir do momento que as unidades escolares públicas assumirem o compromisso. E este compromisso só será assumido na íntegra a partir do momento que houver vontade legitimada por profissionais dispostos a estudarem as causas, prepararem profissionalmente, ousar em sala de aula com metodologias que levem estes alunos viverem seu mundo na realidade da escola pública, proporcionando-lhes momentos de lazer, encontro com a comunidade escolar como um todo, pessoas que em princípios são iguais a eles, mas que sempre receberem tratamento diferenciado, longe da realidade do colega portador de necessidade especial, fazer com que ele perceba que é capaz. O estigma da deficiência, anexada a falta de preparo dos pais e parentes para lidarem com a situação faz com que estas pessoas vivam uma outra realidade.
Verificamos em nossa cidade a triste realidade de crianças, jovens e adultos portadores de necessidade especial vivendo a margem da realidade da família, sua válvula de escape é a escola.
A Escola Estadual 12 de Abril tem recebido alunos que a APAE, dá por encerrada a etapa de permanência dos mesmos na Instituição, e a adaptação deles juntos aos alunos do Ensino Fundamental, séries final e Ensino Médio, torna-se um desafio, levando-o ter atitudes de defesa, pois até então ele conviveu com semelhantes que igual a ele era tratado de forma diferenciada. Estes alunos têm encontrado dificuldades que na medida do possível são superadas as mesmas, e hoje já temos alunos remanescentes da Escola Especial que estão no Ensino Médio. O que a Escola busca com a Sala de Recurso atendimento especializado a um grupo de alunos que estamos recebendo neste ano de 2008 e outro que estão conosco há mais tempo. A Escola tem buscado alternativas para trabalhar com alunos de 5ª a 8ª série, através de Projetos, horas atividades e atendimento na Sala de Recurso à aqueles que apresentam déficit na aprendizagem nas salas regulares, bem como os alunos em Dependência, os trabalhos serão desenvolvidos por professores e coordenadores. A Inclusão, já é uma realidade Desde 2005, os estudantes da Escola Estadual 12 de Abril na rede estadual que apresentam algum tipo de dificuldade, seja por alguma deficiência ou distúrbio psicossocial, freqüentam as mesmas escolas que os demais estudantes — recebendo, porém, uma atenção diferenciada através de atividades realizadas na Sala de Recurso e ou na Escola Especial Renascer (APAE), localizado em Terra Nova do Norte -MT. Na APAE, uma equipe multidisciplinar trabalha com cada aluno individualmente, possibilitando que ele se desenvolva e consiga acompanhar o restante da turma.A educação especial é um assunto inesgotável, por isso os professores precisam sempre participar de capacitações para melhorarem seu desempenho pedagógico no processo ensino-aprendizagem. Pretendemos fazer a Inclusão Social proporcionando aos portadores de necessidades especiais e deficiência na aprendizagem, dignidade, direito de aprender ou entender o processo pelo qual estão passando, auxiliar os pais na dura jornada de cuidar de alguém que na concepção da sociedade não é “normal”, dizer a eles e seus familiares que nós enquanto Instituição Pública de Ensino e profissionais da mesma ou aceitamos como são, fazendo de nossa parte o melhor para que se sintam integrado e tenham acesso a cultura e direito de serem independentes, na medida do possível. Segundo Russeau (1999 – pág. 189) “É um espetáculo grandioso e belo ver o homem sair, por seu próprio esforço, a bem do nada; dissipar, por meio das luzes de sua razão, as trevas nas quais o envolveu a natureza; elevar-se acima de si mesmo, lançar-se pelo espírito, às regiões celestes; percorrer com passos de gigante, como o sol, a vasta extensão do universo; e, o que é ainda maior e mais difícil, penetrar em si mesmo para estudar o homem e conhecer sua natureza, seus deveres e seu fim”.
OBJETIVO GERAL:
Estimular o educando portador de necessidades educativas especiais a adotar novas formas de relacionamento, hábitos e atitudes, integrando-se no meio sociais e interagindo como sujeito capaz de reagir aos estímulos de elevação da auto-estima, melhorando assim sua condição da vida e convívio da melhor maneira possível. Conscientizando sobre o valor da família na vida de uma pessoa e também sobre a importância de saber ler e escrever.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
O objetivo será subsidiar o atendimento regular aos chamados alunos especiais, transformando a escola em espaço inclusivo e de qualidade, que valorizem as diferenças sociais, culturais, físicas e emocionais.
Dar suporte ao aluno com dificuldades de aprendizagem para que integre-se ao meio social, aprendendo a relacionar-se com as diversidades e com isso, adquirir experiências para perceber a escrita e a leitura não só do alfabeto mas do mundo. Desenvolver metodologias voltadas para as deficiências dos alunos conforme as dificuldades de cada um, dando oportunidades aos alunos portadores de necessidades especiais, patológicas ou de aprendizagem, de ingressarem no ensino regular, vivenciando e trocando experiências, contribuindo para o desenvolvimento de suas habilidades e competências dentro das limitações de cada um.
METODOLOGIA
Na Escola Estadual 12 de Abril, a Inclusão se dará pela aceitação de matrícula de alunos de necessidades educacionais especiais, portadores de deficiência visual bem como mental leve, em salas de Ensino Fundamental Regular e 5ª a 8ª séries e Ensino Médio.
Os conteúdos a serem ministrados são os mesmos constantes na Matriz Curricular, porém com o olhar atento aos portadores de necessidades educacionais especiais, para que, os conteúdos não assimilados sejam trabalhados com estratégias diferenciadas e através de projetos, na sala de recurso pela professora responsável de acordo com o cronograma de atendimento.
PROPOSTAS DIDÁTICAS PEDAGÓGICAS
Considerando que a clientela a ser atendida na sala de recursos são alunos pré-adolescentes, jovens e adultos com dificuldades na aprendizagem ou alunos portadores de necessidades educacionais especiais essa proposta é útil não somente para os educandos portadores de alguma deficiência, mas, sobretudo, para todos os alunos com dificuldade comprovada.
DURAÇÃO DO PROJETO
A execução deste Projeto se dará a princípio em um ano letivo com possibilidade de se estender por mais um ano de acordo com as necessidades do aluno até que a aprendizagem atenda aos objetivos propostos.
RECURSOS
Considerando os níveis de dificuldades dos alunos, os trabalhos serão realizados de acordo com as necessidades de aprendizado. A escola dispõe de um acervo bibliográfico possível de atender as demandas e as necessidades específicas; videoteca com 385 fitas que atende todas as áreas do conhecimento; sala de vídeo, sala de ciências, ginásio de esportes, quadra esportiva descoberta e Laboratório de Informática (LIED). Será disponibilizado o seguinte material:
- Computadores - Impressora - CD - Disquete - Data Schow - DVD - Internet
- Tintas - Pincéis - Folhas de papel sulfite - Cartolinas - Isopor - Canetinhas
- Pincéis atômicos - Jogos de: damas, dominó, xadrez, memória, baralho.
- Material reciclável - Fósforo - Pedrinhas - Palitos - Borrachas - Canetas, Lápis, cola e Réguas - Calculadoras - Cadernos - Revistas - Fitas de Vídeo e Livros
- Dicionários - Compasso - Tesouras - Bolas - E outros materiais que os alunos poderão trazer de casa.
RECURSOS HUMANOS
- Direção, Coordenação, professores, Merendeira, apoio e manutenção, Técnico Administrativo, Profissionais Especializados como: Fonoaudiologia, Fisioterapia e Psicologia.
DA AVALIAÇÃO
A professora que estará atendendo na sala de recurso pautará seu atendimento em projeto elaborado em conjunto com os professores que atendem os alunos nos períodos normais de aulas.
O Planejamento elaborado em conjunto terá por objetivo detectar as dificuldades dos alunos e em que ponto é possível melhorar seu desenvolvimento. A professora terá que conhecer a cada um dos alunos, para isso deverá fazer um estudo sócio econômico junto aos familiares dos mesmos.
A avaliação será individual. Com registro em fichas e com reuniões mensais com os professores dos alunos. A reunião servirá para avaliar o rendimento dos atendidos e reformular proposta caso seja necessário.
No final do ano, nas pastas do aluno deverá constar a Ficha Resumo de todas as atividades realizadas e avaliação final da professora da sala de recurso e professores que atendem os alunos no dia-a-dia.
DA PROMOÇÃO
O aluno que atingir a efetividade na aprendizagem dentro da proposta de trabalho poderá ser promovido para série subseqüente. Sendo garantido direito de transferir-se uma escola para outra com a ficha descritiva de avaliação.
CAPACITAÇÃO
Devido o projeto ser de aluno inovador, os professores participarão de cursos de capacitação dentro e fora da escola de acordo com a necessidade, bem como a inclusão de outros professores se voluntários.
PROPOSTA CURRICULAR
Os conteúdos programáticos a serem colocados em prática são divididos em três áreas de conhecimentos e suas tecnologias:
a) Linguagem, códigos e suas tecnologias;
b) Ciências da natureza e suas tecnologias;
c) Ciências sociais e suas tecnologias.
MATRIZ CURRICULAR
Linguagem, código e suas tecnologias:
1 – Língua Portuguesa:
a) Alfabetização e Letramento.
b) No campo da linguagem oral: narração, descrição, dramatização, leitura oral, poemas, contos.
Linguagem escrita: leitura e escrita do nome e sobrenome, identificação de letras, sílabas, palavras e textos, interpretação e produção de textos, estilos literários, vocabulário, ordem alfabética, classes gramaticais, acentuação gráfica e tonicidade das palavras, ortografia, bilhetes, convites, cartas, rótulos, jornais, anúncios, lista de compras e de nomes.
2 – Artes: músicas, lendas, parlendas, história da literatura infantil, literatura de cordel, repente, eventos culturais, teatro, fantoche, confecção de brinquedos, brincadeiras antigas, lazer, comemorações.
3 – Educação Física: Equilíbrio, Flexibilidade, Atenção, Coordenação Motora Ampla, dança, corrida, corrida do saco, salto a distância, salto a altura, amarelinha, queima, pula corda, adivinhação, mímica, estátua, jogos recreativos.
4 – Ciências da Natureza e suas Tecnologias:
a) Matemática: Raciocínio Lógico e Percepções, representações, leitura e escrita dos números naturais, decomposição dos números pares e ímpares, conjuntos, seriação, classificação, ordenação, símbolos matemáticos, números ordinais, problematização, as quatro operações fundamentais, classes, ordem, medidas de tempo, capacidade, cumprimento, sistema monetário, temperatura e massa, geometria, espaço, dimensão, forma bi e tri dimensionais, dados, tabelas, gráficos, formulários.
b) Órgãos do Sentido: Corpo humano e seu funcionamento, alimentação, elementos da natureza, poluição, ecossistemas, receita culinária, prevenção do meio ambiente, cuidado com lixo, reciclagem, higiene pessoal e corporal, prevenção e saúde.
5 – Ciências Sociais e Suas Tecnologias:
a) História: O ser humano como responsável pela historia, História do município, bibliografias, organização familiar, migração, cultura, datas comemorativas, novas tecnologias.
b) Geografia: O ser humano como agente modificador da natureza, planeta terra, origem, identificação do aluno, localização de sua casa e da escola, no município e estado, pontos turísticos, trânsito.
c) Filosofia/Ensino Religioso: Ética e Cidadania, organização familiar, direitos civis, políticos e sociais, sociedade, segurança no trabalho, mercado de trabalho, profissões.
Professoras: MARIA DA LUZ ALMEIDA E LEONI MACHADO
Coordenadora Pedagógica: Mª APARECIDA F. BUSS E MARISTELA GARCIA
Diretora : Maria Célia Rodrigues Antunes

Algumas atividades desenvolvidas com os alunos na SALA DE RECURSO




Um comentário:

jainefazenda disse...

Adorei seu Projeto de sala de recurso,também estou trabalhando numa sala de recurso, no interior de São Paulo. Abraços e Parabéns.

Projeto Aquarela

Projeto Aquarela ApresentaçãO 2007
From: maratnn2008, 2 days ago



Trabalho realizado com alunos da Sala de Recurso da Escola Estadual "12 de Abril" em Terra Nova do Norte - MT

SlideShare Link

PLANEJAR E CONSTRUIR

PLANEJAR E CONSTRUIR
SONHE, PROJETE E REALIZE

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Eu sou uma gota no Oceano mas sou feliz no que faço e sempre peço a Deus para fazer o melhor.....